Pandêmonio Viamonense

Antes de tudo, veja este vídeo.

Todo o pandemônio de batidas, até um pouco caricatas, se não fossem extremamente perigosas aconteceram ainda nessa chuvosa tarde no Rio Grande do Sul. O Local: a temida curva um do autódromo gaúcho de Tarumã, conhecida por ser uma curva tão lendária quanto veloz.

Márcio Campos já havia "saído pela tangente" em pleno warm-up. Porém, o acidente do pretendente ao título da categoria não foi o único infortúnio da etapa viamonense. (foto: Fernanda Freixosa)
Márcio Campos já havia “saído pela tangente” em pleno warm-up. Porém, o acidente do pretendente ao título da categoria não foi o único infortúnio da etapa viamonense. (foto: Fernanda Freixosa)

Como vemos no vídeo, Edson Coelho e Raphael Abbate passaram devidamente retos pela curva, experimentando as recentes reformas de segurança do autódromo gaúcho, mas infelizmente, isso foi pouco para uma só tarde chuvosa que já havia feito Márcio Campos – que tinha chances reais de titulo para serem disputadas no místico autódromo ao sul – “sair pela tangente” e ficar fora a competição, isso em pleno Warm-up.

Passa um volta, Tala Larga, Curva oito, Curva nove e se abre a reta, passa-se a linha e já se chega na entrada da mesma curva um que tirou Coelho e Abbate fora da corrida…e iria acabar irando mais gente.

Quando se viu na transmissão televisionada que passa no inicio do período vespertino da Bandeirantes, já estava um Tito Morestoni desviando dos carro de resgate, passando reto a área de entrada e indo parar na barreira de pneus e um Fábio Fortes não tendo a mesma sorte de Morestoni: atingindo um carro de resgate e estampando o para-choques de outro.

Tito Morestoni: por pouco não acertou o carro de resgate. Já Fernando Fortes...
Tito Morestoni: por pouco não acertou o carro de resgate. Já Fábio Fortes…

Por sorte dos pilotos e de todos os fã de automobilismo, nada mais aconteceu, porém, podemos dizer que a segunda temporada do Campeonato Brasileiro de Turismo não acabou nada bem.

Podemos citar, nisso tudo alguns erros que fizeram da etapa está. Os erros da direção de prova são um exemplo, que mesmo com uma chuva torrencial e uma reta besuntada ainda com resquícios de VHT (que, alias, foram outro culpado pelo acontecimento), deu incio a corrida, mais motivada pelas transmissões de televisão. Obviamente, a corrida passou mais tempo em bandeira amarela e safety car do que propriamente na disputa, felizmente, houve a sensatez de findar a etapa na sétima volta. Outro erro a ser passado a limpo são dos próprios pilotos, que arriscaram os culhões disputando a freada no limite possível da entrada da curva em plena chuva viamonense (o que não é algo definitivamente errado, faz parte do espirito de competição), “frearam dobrado” e deu no que deu.

Guilherme Salas terminou por cima no meio da água (foto: Fernanda Freixosa)
Guilherme Salas terminou por cima no meio da água (foto: Fernanda Freixosa)

e, aliás, o titulo foi para Guilherme Salas.

 

(P.S. Em caso de mais informações, vamos atualizando a pagina)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s