Automobilismo não é esporte?

O esporte a motor talvez seja um dos esportes mais complexos, difíceis e metódicos já criados por estes ser bípede que insistimos em chamar de homem. A arte de dançar sobre rodas por curvas e retas é uma arte complexa, desgastante, algumas vezes, fatal, porém amar essa arte e ver a beleza em um carro atacando zebras sem perdão talvez seja o que faz o esporte a motor fazer sentido para quem o ama. Porém alguns não conseguem ver a beleza nisso tudo.

“não posso vibrar com corridas de automóveis, uma atividade praticada em sua ampla maioria por playboys que se sentem verdadeiros heróis ao entrar numa banheira de gasolina e ficar rodando como uns babacas em alta velocidade, patrocinados por marcas de cigarro e bebidas.”

O senhor que proferiu esta frase se chama Luiz Antônio Simas, não sei eu muito sobre seu respeito, somente o que fica exposto no texto que ele escreveu ha pouco mais de 8 anos em seu blog “Histórias do Brasil”. Porém o que vem a tona nisso tudo é a frase que encabeça o texto, em garrafais letras dos formatos do Blogspot: “AUTOMOBILISMO NÃO É ESPORTE!!”

Segundo o autor do texto supracitado, este homem é um playboy que se acha um herói correndo em uma banheira de gasolina.
Segundo o Luiz, este homem é “um playboy que se acha um herói correndo em uma banheira de gasolina”.

Não farei julgamentos, não chamarei-o de nada nem insultarei-o, pois sequer sei eu da índole de tal pessoa, talvez seja uma boa pessoa, ter opiniões contrarias não é crime e o respeito em sua opinião (que se vê mais motivada por um empecilho noturno). Porém, cá estou mesmo é para demonstrar que o automoblismo é um esporte sim.

O esporte é em suma, qualquer atividade que, de modo organizado, visa equilibrar a saúde ou melhorar a aptidão física e (ou) mental e proporcionar entretenimento aos seus participantes.

Bem, obviamente, este monte de playboys e suas banheiras de gasolina operam de modo organizado, em seus grids, disputando para ver quem sai na frente, não há automobilismo sem regras desportivas, sem definições de grid nem limites de como o piloto pode se portar em uma pista, está diversão de playboys é uma diversão organizada.

A complexidade de todas as variáveis do automobilismo não deixaria para traz qualquer xadrez. Exige muito da massa encefálica dos playboys que correm ai.
A complexidade de todas as variáveis do automobilismo não deixaria para traz qualquer xadrez. Exige muito da massa encefálica dos playboys que correm ai.

Porém não e qualquer playboy cabeça de vento que senta seus pés em uma pedaleira de alumínio e rasga retas sem perdão. Há muita técnica, apexes, curvas, retas, acertos, pneus, táticas, técnicas de pilotagem e outras milhões de variáveis que podem simplesmente lhe tirar de uma pista ou lhe fazer simplesmente se tornar inalcançável. Invariavelmente, o piloto tem que saber e conhecer todas elas, um exercício para a mente digno de Kasparov.

O esforço físico de um deste playboys dentro de um monoposto durante 90 minutos a correr é tão alto quanto os 90 minutos de uma partida de futebol Se duvida, este careca pode responder para ti facilmente.
O esforço físico de um deste playboys dentro de um monoposto durante 90 minutos a correr é tão alto quanto os 90 minutos de uma partida de futebol. Se duvida, este careca pode responder para ti facilmente.

Infelizmente, não é qualquer playboy monstrão piloto de Veloster que crava sua bunda em banco concha e acelera por curvas e retas em círculos. Este playboy tem que ter uma preparação física que não deixaria para trás qualquer jogador de futebol ou nadador olímpico. Lidar com todo tipo de forças físicas que quase todos nós temos dores de cabeça nas aulas do ensino médio é algo diario, corriqueiro e costumeiro para estes playboys, e isso, necessita uma preparação física própria. No pain, no gain.

Bom, isso já demonstra por a + b que definitivamente o automobilismo é um esporte. Mas digo mais, é uma arte. Se não consegue concordar, a Pirelli faz o favor de exemplificar para nós o porque

Talvez a beleza do automobilismo esteja ai, em toda sua extensão, sua aura, tudo a sua volta e seu conjunto, porém, a algo que jamais pode ser explicado, só sentindo para saber.

De fato, uma arte.
De fato, uma arte.

Talvez o senhor que escreveu o texto jamais sinta como é a aura de um autódromo, jamais saiba como é estar perto da velocidade, de tudo isso que tao incrível é o automobilismo. Talvez já fique bem com seu futebol ao fim do dia (nada contra, eu mesmo sou um admirador do bom ludopédio), porém, faço um convite, talvez uma dessas tardes de domingo, sem algum jogo, vá em um autódromo, sinta como é tudo por dentro do automobilismo. Talvez mude sua opinião sobre estes playboys e suas banheiras de gasolina, e, talvez se tudo der errado, o senhor acabe gostando da ideia de ver este espetáculo todo, é só uma questão de estar perto.

Anúncios

3 comentários sobre “Automobilismo não é esporte?

  1. Li o texto do outro blogueiro… Ele misturou um monte de coisas, kkkkkk. Mas enfim, alguma coisa do texto dele dá pra aproveitar.
    É o tipo de pessoa que não conhece, não entende, nunca leu sobre, não dirige, nunca esteve num autódromo, conhece apenas o que aprendeu na auto escola, anda de carro mil, tem raiva de pessoas bem sucedidas, tem raiva do Galvão, te raiva do sucesso dos outros, não é chegado a mulherada, não fuma, não bebe (e não mete).
    Deve ser por isso que escreveu (pessimamente mal) sobre automobilismo
    Ótimo texto
    Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s