Aguri não morreu

Em tempos de pós-Halloween, um “morto” volta as pistas.

Super Aguri: Sai da "cova" para sentir a eletricidade.
Super Aguri: Sai da “cova” para sentir a “eletricidade”.

Buenas, a Super Aguri voltou, pessoal. Após sair da Fórmula 1 em 2008 (após três temporadas nada animadoras e ter o Yuji Ide como piloto), a equipe japonesa, que disputa atualmente a Super GT pelo nome de ARTA (Autobacs Racing Team Aguri), volta ao cenário internacional (ou sai de sua “cova”)  pela “elétrica” categoria, Formula-E. Isso confirma a Super Aguri Formula-E (SAFE, devido a um trocadilho tosco com a palavra segurança na lingua de Margaret Thatcher) como a sexta equipe da nova categoria, que terá sua temporada inicial em 2014.

Feio. Sem mais...
Esta será a nova Super Aguri (ou SAFE).

Coma entrada do time na F-E, também voltou pessoal ao time, os projetistas Mike Preston (projetista do SA06, que era usado para missões Kamikaze pelo mitico piloto Yuji Ide) e Peter McCool (projetista do SA07, simplesmente o melhor carro que a equipe já tacou a mão) se interessaram pelo projeto da elétrica categoria nova, tanto, que voltarão a integrar o time da escuderia nipônica na primeira temporada da categoria.

Em uma entrevista recente a revista britânica Autosport, o ex-piloto e dono da equipe, Aguri Suzuki, declarou: “Quando o projeto da F-E foi anunciado, nós instantaneamente fomos atraídos a ele e começamos a formular alguns planos. Nós nos encontramos com Alejandro Agag e sua equipe neste ano e o informamos dos nossos planos e objetivos, apresentando nossa visão da F-E, que representa o Japão e Ásia.”

palvara
“Hoje é um novo capitulo da Super Aguri e estou orgulhoso de que nossa equipe irá representar o Japão na primeira temporada da Fórmula-E.”, palavras do Japonês-Bugre, Aguri SuzukI.

“Hoje é um novo capítulo da Super Aguri e estou orgulhoso de que nossa equipe irá representar o Japão na primeira temporada da Fórmula E. Corridas com emissão zero é um conceito em evolução para a indústria do esporte a motor e depois de mais de 40 anos tanto como piloto quanto como dono de equipe, eu vejo a Fórmula E como um passo em direção ao futuro. O Japão sempre foi um pioneiro em inovações e tecnologia e nossa participação no campeonato irá nos promover e desenvolver veículos elétricos não apenas na nossa região, mas também em escala global”, ainda completou o recordista de não-qualificações na Fórmula 1 (o mesmo, que conseguiu um pódio, no mítico GP do Canada de 1991, só para mostrar que o cara não era ruim, só lhe faltava a sorte que sobrou a ele naquela corrida)

A Super Aguri pode não ter dado tão certo na Indy, ou na F1, mas com a Autobacs, na Super GT (aka. JGTC), a equipe era uma das melhores.
A Super Aguri pode não ter dado tão certo na Indy, ou na F1, mas com a Autobacs, na Super GT (aka. JGTC), a equipe era uma das melhores.

Com isso, a Aguri se junta as outras cinco equipes que irão compor o grid da nova categoria, entre elas, estão a Andretti (a propria) e a e-Dams (divisão “elétrica” da conhecida DAMS, já veterana de Fórmula 3000 e GP2 Series). A categoria pretende ter sua primeira etapa dia 20 de setembro, em Beijing (Pequim, para nós, lusófonos). No mais, ficamos apostos para ver no que vai dar a F-E, e também, a Aguri.

 

Anúncios

2 comentários sobre “Aguri não morreu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s