Fórmula 1.6: Liquido Aquoso

Ah, esse fim de semana. Treinos para a Indy 500, Vitoria apertada de Ricardo Mauricio na Stock, na Bahia de todos os santos. E nas frias terras sulistas, é disputada a 3ª etapa do Gaúcho de Automobilismo, no Velopark, em Nova Santa Rita. Marcas e Pilotos, Fórmula 1.6, Copa Fusca e Fórmula Júnior correram no autódromo abaixo d´água, mas isso não atrapalhou em nada a etapa. Os motores AP 1.6 rugiram naqueles pagos cheios de matéria aquosa, lá estava a Fórmula 1.6, em mais uma de suas “rotineiras” etapas.

Matheus Stumpf não quis nem saber se o Velopark estava parecendo o lago Guaíba, foi lá, pilotou com maestria e ganhou as duas etapas. (Foto:Erlon Radl)
Matheus Stumpf não quis nem saber se o Velopark estava parecendo o lago Guaíba, foi lá, pilotou com maestria e ganhou as duas etapas. (Foto: Erlon Radl)

A 1.6 voltou com tudo no Velopark com 19 carros no grid e três “estreantes” (aqui mostra). A corrida se mostrou mais uma etapa “rotineira” da Fórmula 1.6, extremamente disputada desde os treinos até os últimos metros da corrida.

Edemar "Nino" Stédile puxando a fila no Velopark: Stédile pilotou bem, mostrou a que veio e conseguiu dois segundos lugares nas duas provas. (foto: Bernardo Bercht)
Edemar “Nino” Stédile puxando a fila no Velopark: Stédile pilotou bem, mostrou a que veio e conseguiu dois segundos lugares nas duas provas. (foto: Bernardo Bercht)

Nos treinos, a etapa já se mostrou eletrizante. Do primeiro a o 10º lugar do grid, a diferença era de 2s109, só que a luta foi pesada para a pole. Marcelo Giacomello e Matheus Stumpf. O tetra-campeão da categoria, Stumpf pegou o acerto do seu carro muito rápido (sendo que ele nunca tinha sequer pego o carro da Rodrigues antes), e girou 58.552s. Sempre dono de tempos impressionantes no Velopark, Giacomello não deixou por menos, a cada saída dos boxes, ele girava tempo mais rápido, até que na 10ª volta, ele marcou 58.352s. Pole indefensável, Stumpf largaria em segundo. Outro que mostrou que ainda estava na briga é Fernando Stédile. O veterano piloto virou 59.011s, largando em terceiro.

O outro Stumpf: Reanto Stumpf foi um pouco mais timido na sua corrida que seu filho, Matheus. O que não quer dizer que ele não tenha ido bem. (foto: Fernando da Silva)
O outro Stumpf: Reanto Stumpf foi um pouco mais tímido na sua corrida que seu filho, Matheus. O que não quer dizer que ele não tenha ido bem. (foto: Fernando da Silva)

Na corrida, muitos optaram por colocar pneus de chuva, mesmo a pista estando seca, mas maioria mantiveram seus slicks NA Carrera nos seus devidos lugares, quando alinharam para a largada daquela primeira bateria. Matheus Stumpf não quis nem saber, na largada, já bateu a carteira do pole e já estava em primeiro quando entrou na primeira curva. Por falar no pole, Marcello Giacomello não teve muita sorte nessa primeira prova, o piloto teve um toque com o piloto sul-matogrossense Gabriel Kenji, e teve que entrar nos boxes, para efetuar reparos no Techspeed #7, perdeu muito no tempo que ficou nos boxes e terminou em 17º. Dois pilotos que ficaram de fora da disputa pela dianteira forma Fernando Stédile e Antonio Grasselli, que terminaram em 7º e 14º, respectivamente. Mas outro Stédile impressionou na corrida, Edemar “Nino” Stédile saiu do nono lugar e fez uma corrida impressionante, terminando em 2º. A primeira bateria foi ganha por Matheus Stmpf, de ponta a ponta, vindo em segundo Edemar Stédile e em terceiro Carlos Lazzari.

Mauricio "Dr. Veloce" Pereira puxando a fila com seu Minelli M3. O piloto não teve muita sorte essa corrida. (foto: Paolo Reis)
Mauricio “Dr. Veloce” Pereira puxando a fila com seu Minelli M3. O piloto não teve muita sorte essa corrida. (foto: Paolo Reis)

Entra a segunda corrida, abaixo de água, muita água. A coisa já começou bem, na quarta volta, Gabriel Kenji, sem visibilidade alguma da pista, bate na traseira do Minelli M3 de Mauricio Pereira, que desacelerou quando viu a bandeira marela ser agitada para a entrada do Safety Car, com isso, fim de corrida para os dois pilotos. A visibilidade estava tão ruim de Carlos Lazzari, que havia conseguido um pódio na primeira prova, abandonou  pois não conseguia ver nada no circuito. Já Matheus Stumpf não quis nem saber de não haver visibilidade no circuito, meteu o pé no porão e ganhou a segunda corrida, acompanhado de perto por Edemar Stédile, já o terceiro lugar ficou com Fernando Stédile, que teve uma prova movimentada, chegando a ficar em 8º após rodar, se recuperou e faturou o pódio da categoria.

A explosão de um pai após ver seu filho ganhar uma corrida. A primeira de muitas vitorias de Lucas Toresan na 1.6, assim espero. (foto: Lucas Toresan/Bernardo Bercht)
A explosão de um pai após ver seu filho ganhar uma corrida. A primeira de muitas vitorias de Lucas Toresan na 1.6, assim espero. (foto: Lucas Toresan/Bernardo Bercht)

Na Light, a pole foi do carioca Leandro Guedes, com 1.01.356s, seguido de Lucas Toresan, com 1.03.224s e Vilson Born, com 1.11.505s. Na primeira corrida, Leandro Guedes mostrou que o pessoal da Nafta também sabe fazer pit-stops, calçado com pneus de chuva, Leandro fez a volta de reconhecimento e viu que não seria preciso usar, entrou nos boxes e foi por pneus slicks. A Nafta mostrou por que é uma das melhores equipes da temporada e pôs os quatro slicks em um pit-stop “a-lá McLaren” e já liberou Leandro Guedes para a pista. Mas quem impressionou foi Lucas Toresan, o piloto de Novo Hamburgo saiu da rabeira do grid conseguiu tomar a posição do carioca, Leandro Guedes e manter a posição, que lhe rendeu a vitoria. Vilson Born terminou em segundo e Leandro Guedes em terceiro

Opa, olha um rodando ai!! (foto: Marcelo Giacomello/Bernardo Bercht)
Opa, olha um rodando ai!! (foto: Marcelo Giacomello/Bernardo Bercht)

Na segunda corrida, Toresan (dessa vez o Lucas, não o Ismael, como na ultima), já nas primeiras voltas abaixo de H²O, Wagner Rouver soltou a frente do seu carro após tentar uma ultrapassagem e bateu em Lucas Toresan, fim de corrida para os dois. Com isso, Leandro Guedes assumiu a ponta e não saiu mais de lá, venceu a corrida, em segundo veio Vilson Born e em terceiro foi Lucas Toresan (haviam só três no grid).

Não houve água este fim de semana do Velopark. (foto: Paulo Dias Nunes)
No meio do aguaceiro, Thaigo Muriel pilotou muito bem, mostrou a que veio. (foto: Paulo Dias Nunes)

Na Fórmula 1.8, Michel Duarte marcou o melhor tempo, com 1.01.369s, em segundo, veio o mineiro Tiago Muriel, com 1.01.444s e em seguida, veio David Gallo, com 1.02.077s. Na primeira corrida, o pole não teve muita sorte, largou dos boxes e abandonou rapidamente após problemas elétricos, fim de prova para ele, as duas. Sobrou então, os mineiros disputar a corrida entre si. Thiago Muriel mostrou para que veio e ganhou a prova, ficando em 4º no geral, Gallo terminou em segundo. Na segunda corrida, abaixo de um aguaceiro infernal, Thiago Muriel mostrou habilidade e maestria em meio a o rio que estava o Velopark aquele dia, dando escapadas incríveis e mostrando superioridade encima de pilotos como Grasselli, Giacomello e Stédile. Muriel embolsou a prova, seguido de Gallo, em segundo, que teve vários problemas de visibilidade, que o fizeram entrar nos pits duas vezes e perder um bom tempo, mesmo assim, o segundo lugar foi faturado.

"Estou de olho nessa tua corrida ai, Stumpf" (foto: Bernardo Bercht)
“Estou de olho nessa tua corrida ai, Stumpf” (foto: Bernardo Bercht)

O campeonato se manteve disputado. Na Categoria A, Marcelo Giacomello ainda lidera, com 85 pontos, seguido por Fernando Stédile, com 74 pontos e Cali Crestani, com 59 pontos. Na Light, Leandro Guedes está na liderança, com 90 pontos, mas Lucas Toresan sobe uma posição e vem em segundo, com 44 pontos., em seguida, vem o tri-campeão da 1.6, Ismael Toresan, com 31 pontos. Na 1.8, o campeonato mudou todo, David Gallo tomou a liderança de Gustavo Camilo e está na ponta, com 68 pontos, seguido por Thaigo Muriel, com 66 pontos e Gustavo Camilo (que não disputou a etapa), com 43 pontos.

A próxima etapa dia 30 de julho, no Autódromo de  Tarumã, na cidade de Viamão. O Gaúcho de Endurance e a Copa Classic terão sua segunda etapa dia 26 de Maio, em Guaporé.

Anúncios

Um comentário sobre “Fórmula 1.6: Liquido Aquoso

  1. Foi muito proveitoso o final de semana no Velopark. Muita velocidade, muita chuva e claro muita emoção. Aos que estiveram conosco e divulgam nossa categoria agradeço de coração. Convido a todos para participarem da próxima etapa, dias 29 e 30 de junho em Tarumã. Será um prazer tê-los em nosso box.
    Abraços, Tiago Muriel.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s